SharePoint
Ai Weiwei - Rapture
11/06/2021 09:00
Mais Sindicato
Ai Weiwei expõe em Portugal pela primeira vez e traz uma mostra inédita: Rapture. O artista contemporâneo e ativista chinês, conhecido também pela sua oposição ao regime comunista de Xi Jinping, apresenta na Cordoaria Nacional alguns dos seus trabalhos mais icónicos, bem como obras originais produzidas no nosso país e que exploram técnicas tradicionais.

Rapture propõe apresentar as duas dimensões criativas de Weiwei: a realidade e a fantasia. Pelo lado da fantasia, explora um trabalho de arqueologia cultural onde procura a identidade que a China perdeu e que provocou um afastamento do país das suas raízes. Já o lado da realidade incide sobre temas que emergem nas nossas vidas com o agravamento das condições humanas no planeta, seja por razões políticas, ambientais ou sociais.

Com curadoria do brasileiro Marcello Dantas, Rapture reúne obras históricas como Snake Ceiling (2009),uma enorme instalação em forma de serpente constituída por centenas de mochilas de criança, em memória dos estudantes que morreram no sismo de Sichuan, em 2008; Circle of Animals (2010), na qual o artista revisita uma série de esculturas composta por 12 cabeças de animais do zodíaco chinês que adornavam uma fonte no jardim Yuanming Yuan, nos arredores de Pequim, durante a dinastia Qing; e Law of the Journey (Prototype C) (2016), que consiste num barco insuflável de 16 metros de comprimento com figuras humanas e faz alusão a um dos temas mais recorrentes na obra do artista: a crise global de refugiados.

Ai Weiwei foi eleito, em 2020, o artista mais popular do mundo pelo The Art Newspaper. Globalmente reconhecido pelo seu forte envolvimento político, por ser um símbolo da resistência à opressão e grande defensor dos direitos civis e da liberdade de expressão, bem como por ligar a arte a questões sociais e de direitos humanos, Weiwei é, também, um articulador das raízes culturais mais profundas da humanidade, em especial das tradições e iconografia chinesas, perdidas ou esquecidas desde a Revolução Cultural de Mao Tsé-Tung (1966-1976).Durante a exposição, terá lugar um ciclo de documentários sobre a vida e trabalho de Ai Weiwei.

Curadoria de Marcello Dantas.

Segunda a domingo, das 10h30 às 19h30, até 28 de novembro, na Cordoaria Nacional.

Créditos: Don Arnold WireImage
Agenda Cultural de Lisboa